domingo, 31 de março de 2013

Aniversariante, Belford Roxo tem pouco a festejar.

Dennis Dauttmam
Emancipada de Nova Iguaçu em 3 de abril de 1990, Belford Roxo completará 23 anos na quarta-feira sem ter muito o que festejar. Nesse período, a cidade se desenvolveu, mas ainda enfrenta muitos problemas em setores como educação, saúde e saneamento básico.
Eleito prefeito em outubro do ano passado, Dennis Dauttmam assumiu o cargo no início do ano sabendo que havia muito o que fazer. Mas promete mudar em quatro anos o que nenhum outro prefeito conseguiu nos outros 23.

Segundo ele, a prefeitura tem cerca de R$ 200 milhões em dívidas e mais de 60% dos moradores não contam com saneamento. A coleta de lixo, um dos principais problemas encontrados pelo prefeito, ainda não foi regularizada.

Mas, na Saúde, Dauttmam diz que já houve evolução. Na Educação, avalia, será preciso investir em estrutura. “Todas as 74 escolas e creches da cidade precisam passar por reformas. Nenhuma delas é adequada para receber os 60 mil alunos da rede municipal”, afirma.

Morador da Rua Raimundo Correia, do bairro Vila Santo Antônio, Edson Soares, 55 anos cobra saneamento básico. “Moro aqui há 40 anos e a rua nunca recebeu drenagem e asfalto. Nós, moradores, temos que jogar pó de pedra e entulhos de obras para tapar os buracos”, conta Soares.

Dennis Dauttmam diz, no entanto, que bairros já começaram a receber obras de infraestrutura. “Estamos priorizando aqueles onde o acesso do transporte público é mais difícil, como São Francisco e Vale do Ipê”, garante.

Para a comerciante Maria de Fátima Tibúrcio, 56 anos, é preciso resolver de uma vez por todas o problema do lixo na cidade. “O caminhão não passa na rua onde moro. Tenho que botar o lixo no meu carro e trazer para o asfalto”.

O prefeito pede um mês de prazo para limpar a cidade. “Faremos um contrato emergencial e vamos deixar a cidade 100% limpa até o fim de abril”, promete Dauttmam.

Investimento para crescer


Uma das principais preocupações de Dennis Dauttmam é melhorar a Saúde de Belford Roxo. O Hospital do Joca, referência na cidade, atende, segundo o prefeito, até mil pacientes por dia. Já a UPA da cidade, segundo ele, dobrou o número de atendimentos. “Eram 3.500 e agora são 7.300 por mês”, informa o prefeito.

Para alavancar o crescimento, ele pretende levar para a cidade um polo de confecções, um polo gastronômico e revela um projeto que vai refrescar a população nos dias de calor: “Estamos conversando com uma empresa para trazer um parque aquático”.

Fonte: O dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário