quinta-feira, 4 de abril de 2013

Preso acusado de matar menina Geovanna em Belford Roxo.

Policiais da 54ª DP (Belford Roxo) prenderam, nesta terça-feira, Haytanny Martins Lima, conhecido como Bilinha, acusado de envolvimento no assassinato da menina Geovanna Vitória de Barros Firmino, morta no dia 18 de janeiro, em uma tentativa de assalto, no bairro Parque das Palmeiras, em Belford Roxo.
Ele foi preso em sua residência, após operação realizada por agentes da distrital na comunidade Gogó da Ema, no bairro Bom Pastor, naquele município.
De acordo com o delegado Felipe Curi, titular da unidade, Bilinha confessou a participação no crime. O delegado informou ainda que o acusado foi preso em casa, onde os agentes encontraram drogas, arma e um radiotransmissor.
Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Contra ele existe um mandado de prisão pela participação na morte de Geovanna.

Morta em tentativa de assalto
Quatro homens em um Vectra preto emparelharam com o Fox prata dirigido por Priscila de Barros, de 28 anos. Assustada, ela acelerou, e um dos bandidos atirou. A bala perfurou o vidro e atingiu Geovanna na cadeirinha no banco do carona, ao lado da mãe, que por pouco não foi atingida.
A tragédia que caiu sobre a família de Priscila e Adenildo Firmino, 29, comoveu até os policiais do 39º BPM acionados para registrar a tentativa de assalto em Belford Roxo em janeiro. Na ação, a filha do casal, Geovanna, foi morta com um tiro no tórax. No enterro da criança, neste domingo, Priscila emocionou os amigos e parentes ao repetir: “Deus, ressuscite minha filha.”
“Estamos casados há 11 anos e esperávamos terminar a nossa casa para ter o bebê. O que aconteceu foi uma monstruosidade”, disse Adenildo, ficou preocupado com reação da mulher.
“Não apareceu nenhum representante do poder público dando assistência ou satisfação. Passamos a noite e esta manhã no hospital. A minha mulher está enlouquecendo”, disse o pedreiro. Segundo ele, no hospital, agarrada à filha, já morta, Priscila tentou amamentar o bebê. “Ela dizia: ‘Acorda, filhinha, você precisa mamar’”, contou o pai, muito abalado.
A cena foi presenciada por PMs do 39º BPM.“Quando chegamos ao hospital, a mãe segurava a menina no colo como se estivesse aguardando atendimento. Mas ela já estava morta”, disse o sargento Luís Cabral, 39º BPM, Belford Roxo.

Fonte: O dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário