domingo, 2 de junho de 2013

Baixada sofre com poucos PMs, enquanto criminalidade aumenta.

O jornal Extra publicou hoje (01/06), uma matéria sobre o aumento da criminalidade na Baixada Fluminense: Faz pelo menos um ano e meio que nenhum batalhão da Baixada Fluminense consegue atingir as metas de redução dos índices de criminalidade do governo. O fato precipitou a queda da chefia do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), ocorrida há duas semanas. Mas há um dado que especialistas consideram determinante para essa ineficiência: cinco dos seis batalhões da região estão em áreas com mais de mil habitantes a cada PM do seu efetivo original. São eles: 20º (Mesquita); 39º (Belford Roxo); 15º (Caxias); 21º (São João de Meriti); e 24º (Queimados). No Estado do Rio, são 12 dos 39 batalhões nestas condições.

O levantamento, com dados de março, é do deputado estadual Pedro Fernandes (PMDB), com base em informações repassadas por fontes da Secretaria de Segurança Pública do Rio. Em relação à Baixada, o recém-empossado comandante do 3º CPA, coronel Claudio Lima Freire, confirma os números, embora considere que a situação vem sendo amenizada com o emprego de PMs pelo Regime Adicional de Serviço (RAS) — trabalho no dia da folga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário