sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Polícia encontra mercadoria estragada no ‘mercado do rato’

A rede de supermercados Multi Market caiu de vez no gosto das denúncias. Dois dias depois de reabrir as portas, após ser lacrada pela Vigilância Sanitária e Ambiental de Belford Roxo na última segunda-feira, quando clientes flagraram um rato no meio da carne no refrigerador do açougue, a loja da praça de Heliópolis voltou a ser notícia. Agentes da Delegacia de Belford Roxo (54ª DP), comandados pelo titular da distrital, delegado Felipe Curi, estiveram na tarde de ontem, no estabelecimento e apreenderam uma grande quantidade de produtos impróprios para consumo, a maioria com prazo de validade vencido. Entre as mercadorias havia queijos com marcas supostamente feitas por roedores, cereais, carne de porco, linguiça e frios que apresentavam aspecto de produto estragado. O gerente da rede Multi Market foi detido e levado para a delegacia para prestar esclarecimentos. “O funcionário foi liberado sob pagamento de fiança, e vai responder pelo crime de relações de consumo”, informou o delegado. O material foi encaminhado para análise no ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli) e o laudo será enviado à Vigilância Sanitária do município para adoção de medidas punitivas.

Denúncia foi parar no Ministério Público e virou polêmica nas redes sociais

A denúncia sobre o episódio do rato no açougue foi parar no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, na última quarta-feira, protocolado sob o número 201300929900. Agentes da Vigilância Sanitária lacraram o supermercado com um auto de infração até que os responsáveis apresentassem um laudo atestando que o local foi desratizado e dedetizado, mesmo com a fixação da multa que pode chegar a R$ 8 mil, conforme a a lei 6.437/98, da legislação sanitária federal, que prevê, além da multa, apreensão e inutilização do produto, além de cancelamento de registro e interdição parcial ou total do estabelecimento.
A imagem do rato passeando no meio da carne exposta no refrigerador foi destaque nas redes sociais. A maioria dos internautas postou mensagens de indignação com o que chamaram de crime contra a saúde pública, enquanto outros expressaram ‘nojo’ ao ver a foto na Internet. Na terça, os responsáveis reabriram as portas para atendimento ao cliente,
mas não afixaram nenhum documento comprovando que o local foi desratizado.


Fonte: Hora H

Nenhum comentário:

Postar um comentário