terça-feira, 1 de setembro de 2015

Nos trilhos da alegria, Serginho Castro vence samba em homenagem a Cacá Diegues na Inocentes de Belford Roxo.

A Inocentes de Belford Roxo deu à parceria de Serginho Castro, Tentenzinho Jr., Rudá Neto e Marcelo Fernandes o direito de ser o samba da escola na homenagem ao cineasta Cacá Diegues no desfile de 2016, onde a escola de Belford Roxo será a terceira a desfilar na sexta de carnaval. A tricolor foi a última agremiação da Série A a definir o seu samba.
O samba da nova geração, como foi apelidado pelos próprios compositores, inclusive, com a presença de Serginho Castro, filho do intérprete do Salgueiro, Serginho do Porto, a parceria superou outros cinco concorrentes com uma grande apresentação na quadra da escola na noite do último domingo(30). - Deus coroou essa jovem parceria. Quem trabalha com humildade pode ter momentos tão felizes e emocionantes como esses. Aqui não tem vaidade. Escutamos um ao outro. A opinião de todos é importante. Foi isso que aconteceu e por isso essa é a parceria campeã - disse Serginho.
Outro jovem compositor é Tentenzinho Jr. Ele afirmou à equipe do CARNAVALESCO que não sabia o que estava se passando com a inédita conquista. - Na verdade estou meio zonzo ainda, é muita informação. Eu acredito que nosso samba atendia ao que o Márcio Puluker pediu e um refrão de pegada forte. Essas foram as credencias de nossa vitória na minha opinião - afirmou o compositor.

Último samba a se apresentar na quadra da Inocentes, a parceria não se fez de rogada e fez estremecer sua passagem com uma torcida muito grande e a conquista dos segmentos da agremiação, coisa que nenhuma outra parceria conseguiu. No momento do anúncio ficou claro que o samba que a Inocentes escolheu era o que a escola queria. 


* OUÇA AQUI O SAMBA DA INOCENTES PARA 2016



O diretor de carnaval da tricolor de Belford Roxo, Marcelo Varanda, falou ao site CARNAVALESCO sobre a expectativa e os preparativos para o próximo carnaval: - Mais uma vez, a Inocentes vem pra avenida para ser campeã. Estamos preparando um carnaval grandioso. As confecções de fantasias já começaram e os trabalhos nas alegorias também.
Greger Tavares, diretor geral de harmonia, explicou como serão os ensaios técnicos da escola, e o número de desfilantes em 2016: - Nossos ensaios começam a partir da próxima quarta-feira. Em outubro começaremos os ensaios de rua lá na Areia Branca. Pretendemos desfilar com cerca de 2.200 componentes.

Sobre a escolha do samba, o carnavalesco Márcio Puluker afirmou que a opção da escola foi a mais acertada. - Acredito que o samba está dentro da sinopse, com uma melodia pra cima, traduz todo o sentimento da escola. Não vamos para passar na Avenida, mas para fazer um grande desfile - prometeu.
De acordo com Puluker, a escola está com os trabalhos no barracão adiantados. - Estamos com o cronograma bem folgado. Nossos protótipos já saíram do papel e estão em fase de acabamento. A escola não tem tradição de fazer festa de apresentação. Nossos carros já estão na fase de ferragem. Estamos mais adiantados em relação à co-irmãs - avisou.
Sobre o grande homenageado, Cacá Diegues, Puluker afirma que tem encontrado todo o suporte do cinasta na confecção do desfile. - O Cacá disse que seria uma honra ser enredo de uma escola da Baixada, quando nós o convidamos. Ele me ofereceu todo o acervo dele, para que eu possa pesquisar. Tenho visitado a produtora dele para ter um suporte - explicou Puluker.
A fantasia que Os ritmistas da "Cadência da Baixada" irão usar no enredo em homenagem a Cacá Diegues é guardada a sete chaves pelo carnavalesco Márcio Puluker e o mestre Washington, como o próprio declara à equipe do CARNAVALESCO. - Posso adiantar que a roupa está muito bonita, confortável e não vai atrapalhar a gente a tocar, o que é mais importante - explicou.
A bateria da tricolor da Baixada conquistou os 40 pontos no desfile de 2015, mas mestre washington não relaxa e afirma que o trabalho segue sem descanso. - Graças a Deus os jurados enxergaram nosso bom desempenho. Nossos ensaios já começaram e nós não podemos considerar que atingimos o objetivo. É matar um leão por dia - declarou Washington. 
Intérprete oficial da agremiação, Nino do Milênio opinou sobre o atual modelo de disputas de samba-enredos: - Eu sinceramente acho muito bom. As disputas estão muito difíceis, as qualidades dos sambas estão altíssimas e tudo que melhora o carnaval é válido. Essa mescla da nova geração de compositores com os mais experientes nos tem dado grandes resultados e quem ganha é o espetáculo.
Apresentações dos finalistas:
Parceria de Jorge Perereca: A parceria trouxe uma torcida não muito numerosa, com bandeiras e bolas coloridas nas cores da escola e também em verde e amarelo. Alguns dançarinos com roupas afros também abrilhantaram a apresentação. A melodia mais cadenciada não impediu a animação das pessoas que faziam parte da torcida, que cantaram a obra com muita determinação. A bateria "Cadência da Baixada" implementou uma bossa já no momento que subiu, à partir da segunda passada do samba. A torcida segurou muito bem o samba nas duas passadas sem a bateria, que novamente fez uma bossa na subida de volta.
Parceria de Tico do Gato: A parceria de Tico do Gato contou com uma torcida numerosa que tinha muitas bandeiras quadriculadas nas cores da escola. Wander Pires e Leléu defenderam o samba. A composição começou a ser executada em um andamento bem para trás. Apesar de uma grande quantidade de pessoas, o canto não começou satisfatório. Com a entrada da bateria "Cadência da Baixada" o rendimento do samba cresceu consideravelmente. Na passada só para a torcida, o canto foi quase nenhum, com muitas pessoas precisando recorrer à letra do samba. Uma passagem apenas regular no palco da Inocentes.
Parceria de Rafa do Cavaco: A torcida do samba não veio em grande número. Um contingente de passistas à frente das pessoas comandou diversas coreografias durante a passagem do samba. Entretanto, o canto esteve aquém, apesar do empolgado palco da parceria, composto pelos jovens integrantes do carro de som da Grande Rio. O trecho de maior destaque da apresentação, sem dúvida, foi o refrão principal, que cativou o momento de melhor canto. O rendimento da parceria cresceu consideravelmente no trecho final da apresentação, cativando até o presidente Rodrigo Gomes. A apresentação terminou com canto forte.
Parceria de Billy Conty: A parceria que tem o intérprete do Império Serrano, Pixulé, entre os compositores, iniciou sua apresentação com dificuldades de cativar a quadra e a torcida, que não cantou a contento. A subida da bateria fez com que o andamento da composição se tornasse mais acelerado. As pessoas dançavam e estavam animadas, entretanto, cantaram de maneira pouco convincente. Sem a bateria "Cadência da Baixada", a torcida do samba encontrou dificuldades para cantar a obra. Apesar de alguns gritos de campeão ao final, a apresentação não convenceu.
Parceria de Dino: O samba cantado pelo intérprete da Caprichosos Thiago Britto até teve uma animada torcida, que agitou bandeiras com o brasão da cidade de Belford Roxo. Porém com uma melodia um pouco arrastada o canto quase não foi notado. Poucas pessoas cantaram a obra e mesmo estas só o faziam no refrão. O restante da quadra reagiu com indiferença à passagem do samba. 
Parceria de Serginho Castro: O samba foi o de maior torcida na quadra. Apesar de ser o último da maratona de seis obras a se apresentar a torcida demonstrou muita animação e já cantava a obra antes mesmo do início oficial. O início da apresentação teve muitos fogos e papel picado na quadra. O cantor Serginho do Porto integrou o palco da parceria. A torcida iniciou cantando a obra com muita vontade. O samba recebeu o apoio de segmentos da escola, como baianas e passistas, sendo o único de toda a noite a conseguir o feito. A apresentação mais convincente da final terminou com o canto forte da torcida e a manifestação de discreto apoio do diretor de carnaval, Marcelo Varanda. 

Fonte: Carnavalesco


Nenhum comentário:

Postar um comentário